segunda-feira, 10 de março de 2014

O Descaracterizado Prédio do Antigo Hotel Carraro

Quem desce pela rua Doutor Flores no Centro de Porto Alegre se depara com um gigantesco prédio de esquina com a Rua Otávio Rocha onde atualmente funciona uma loja Manlec. A edificação chama a atenção do transeunte por ser toda pintada em tons de amarelo e pelo fato de, enigmaticamente, quase não apresentar nenhuma abertura nos andares superiores.
Segundo Oliveira (2010), o prédio em questão foi projetado em 1933 pelos arquitetos Saul Macchiavello e Antonio Rubio para fins de uso misto (residencial, comercial e de serviços), recebendo o nome de Edifício Comendador Chaves. Não se sabe ao certo quais empresas utilizaram-se inicialmente do local, mas em 1935 a Sociedade Amante Carraro e Irmãos comprou o local e acabou criando o Hotel Carraro, sendo este um dos locais mais luxuosos para ficar hospedado na capital, até com direito a elevadores (caríssimos para a época).
O prédio tem uma grande importância para a história da arquitetura de Porto Alegre. Oliveira (2010) o caracteriza dentro do estilo Art Déco, sendo portador de características Déco ziguezague (motivos geométricos com detalhes marajoaras) com Déco steamline (sensação aerodinâmica de conduzir o olhar para certos pontos da edificação). Sua construção foi executada através do uso de concreto armado, uma técnica interessante para a sua época.
O que mais chama a atenção na análise do Edifício Comendador Chaves é pela total descaracterização de sua fachada original. Nota-se por imagens da época que o local tinha uma profusão de aberturas e vãos que separavam a volumetria. Não se sabe em qual época esses elementos foram eliminados e simplesmente tapados com concreto, transformando o prédio em uma espécie de grande paredão. Talvez um dia a podemos ter uma restauração.

Vista frontal do estado atual

Vista frontal de quando ainda funcionava o antigo Hotel Carraro. Retirado de Oliveira (2010, p.172)
Vista lateral mostrando a praça Otávio Rocha no primeiro plano. Notam-se os vãos que foram encobridos com o passar dos anos. Retirado de Oliveira (2010, p.160)
Vista atual mostrando a praça Otávio Rocha

 Detalhe atual da fachada com os espaços onde anteriormente existiam janelas e vãos.
Pilares aparentes que dão a sensação de aerodinâmica e os ornamentos geométricos.


PS.: Antes da Manlec a Loja Mesbla funcionou no antigo edifício do Hotel Carraro


Oliveira, Rogério Pinto Dias deSaul Macchiavello & Antonio Rubio: modernidade arquitetônica em Porto Alegre (1928-1938). 2010, 215 f. Dissertação (Mestrado em História)-Programa de Pesquisa e Pós-Gradução em História, Faculdade de Filosofia e CIências Humanas, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2010. Disponível em: <http://hdl.handle.net/10923/3840> . Acesso em: 10 mar. 2014.

2 comentários:

O MARAVILHOSO MUNDO DA FRU disse...

Eu acredito ter conhecido o hotel, e adoraria poder ver a restauração , retomando a edificação antiga!!!

O MARAVILHOSO MUNDO DA FRU disse...
Este comentário foi removido pelo autor.